12 de jan de 2013

Dança das cabaças

Mais uma dica de 2013

Um documentário espetacular,

A Dança das Cabaças, clique no link e confira:

http://www.youtube.com/watch?v=qwWkrZ-ataE

Axé.

9 de jan de 2013

Candomblé por Mãe Márcia D'Oxum

Mãe Márcia DOxum fala sobre suas concepções sobre sua religião, um vídeo curto e muito bonito em suas palavras.

Acesse, são apenas 5 minutos, fica nossa 4º dia de 2013.


http://www.youtube.com/watch?v=vpR7n3mkMwY


Caso goste, visite o próximo vídeo e conheça a casa de Mãe Márcia da nação de Kêtu:

http://www.youtube.com/watch?v=EHmG2sIFL8c&feature=endscreen&NR=1 .


No próximo vídeo Mãe Márcia fala sobre as diferenças, diversidade, respeito, entre outros valores:

http://www.youtube.com/watch?v=nOXpzQUE8t0

Pierre Verger


Nossa 3º dica de 2013:



Pierre Verger nasceu em Paris, no dia quatro de novembro de 1902. Desfrutando de boa situação financeira, ele levou uma vida convencional para as pessoas de sua classe social até a idade de 30 anos, ainda que discordasse dos valores que vigoravam nesse ambiente. O ano de 1932 foi decisivo em sua vida: aprendeu um ofício - a fotografia - e descobriu uma paixão - as viagens. Após aprender as técnicas básicas com o amigo Pierre Boucher, conseguiu a sua primeira Rolleiflex e, com o falecimento de sua mãe, veio a coragem para se tornar um viajante solitário. Ela era seu último parente vivo, a quem não queria magoar com a opção por uma vida errante e não-conformista.

As coisas começaram a mudar no dia em que Verger desembarcou na Bahia. Em 1946, enquanto a Europa vivia o pós-guerra, em Salvador, tudo era tranqüilidade. Foi logo seduzido pela hospitalidade e riqueza cultural que encontrou na cidade e acabou ficando. Como fazia em todos os lugares onde esteve, preferia a companhia do povo, os lugares mais simples. Os negros monopolizavam a cidade e também a sua atenção. Além de personagens das suas fotos, tornaram-se seus amigos, cujas vidas Verger foi buscando conhecer com detalhe. Quando descobriu o candomblé, acreditou ter encontrado a fonte da vitalidade do povo baiano e se tornou um estudioso do culto aos orixás. Esse interesse pela religiosidade de origem africana lhe rendeu uma bolsa para estudar rituais na África, para onde partiu em 1948.

Foi na África que Verger viveu o seu renascimento, recebendo o nome de Fatumbi, "nascido de novo graças ao Ifá", em 1953. A intimidade com a religião, que tinha começado na Bahia, facilitou o seu contato com sacerdotes, autoridades e acabou sendo iniciado como babalaô - um adivinho através do jogo do Ifá, com acesso às tradições orais dos iorubás. Além da iniciação religiosa, Verger começou nessa mesma época um novo ofício, o de pesquisador. O Instituto Francês da África Negra (IFAN) não se contentou com os dois mil negativos apresentados como resultado da sua pesquisa fotográfica e solicitou que ele escrevesse sobre o que tinha visto. A contragosto, Verger obedeceu. Depois, acabou encantando-se com o universo da pesquisa e não parou nunca mais.

(Trecho do texto sobre a biografia de Pierre Verger que encontra-se no site da Fundação, mais informações visite o endereço abaixo:
http://www.pierreverger.org/fpv/index.php?option=com_content&task=view&id=12&Itemid=27 ).


Dentre os estudos de Verger podemos encontrar o documentário "Mensageiro entre dois mundos", não deixe de assistir.

http://www.youtube.com/watch?v=F-jSGCc7GOY


Axé!!!

Não deixe de assistir

Dica 2 de 2013:

Não deixe de assistir o documentário : Candomblé.

Um pouco da cultura africana e sua ressignificação em solo brasileiro.

http://www.youtube.com/watch?v=6c3qpho5Aw4

Axé!